Mulher sendo avaliada perla sua postura

As doenças relacionadas à coluna vertebral vêm crescendo de forma assustadora, e com isso, gerando sérios problemas para à saúde pública. Acredita-se que estas sejam responsáveis por grande parte de afastamentos no trabalho, pois, segundo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) em 2003 os problemas relacionados à região da coluna vertebral, em específico dor nesta região causaram um total de 20.341 dos 387.950 acidentes de trabalho (1).

Realizei um estudo em 2014 (2) , que teve por objetivo de verificar quais os métodos de avaliação postural da coluna vertebral foram usados nos estudos científicos nacionais publicados em periódicos brasileiros atuais.

O estudo acabou detectando que dentre os métodos de avaliação postural achados, o método mais utilizado foi à fotogrametria (Ver figura), esta que perfez uma porcentagem de (36,7%) dos estudos contemplados, seguida da Avaliação Postural Visual e do Posturógrafo que perfizeram respectivamente (23,3%) e (16,7%) dos estudos. Importante também evidenciar que a radiografia computadorizada (Raios-X) embora em poucos dos estudos (10%), ainda vem sendo utilizados em estudos acadêmicos.

Gráfico avaliação postural

O autor ainda relada que os raios-x até os dias atuais, é considerado o método mais confiável “padrão ouro” para avaliação de desvios na coluna vertebral (3), por ofertar uma visão de todas as suas vértebras e curvas. Entretanto, o mesmo, salienta-nos que este método também pode apresenta sérios riscos a saúde das pessoas que são expostas a este tipo de avaliação. Por ser um método invasivo os raios-x expõe as pessoas a danos ao organismo (4), que podem até mesmo levar a óbitos. E por este método apresentar riscos à saúde, que os estudos vêm buscando ao longo dos anos estabelecerem métodos confiáveis, que não apresentam nenhum e/ou menores riscos à saúde dos avaliados, além de tornar a avaliação postural num diagnóstico mais prático e de baixo custo.

Talvez neste intuito de não deixar expostas as pessoas a riscos à saúde, que os pesquisadores vêm tentando criar métodos que estimem de maneira fidedigna os desvios posturais. E neste contexto, acredita-se que a fotogrametria vem sendo uma técnica bastante utilizada, e com tendência a aumentar, tendo em vista que a inserção de imagens e softwares na avaliação postural vem permitindo que as avaliações posturais, estimem mais precisamente os desvios (32). Pois, a fotogrametria vem se mostrando superior a avaliação postural visual por apresentar melhores concordâncias em seus resultados, e conseguir por possibilitar medir ângulos e/ou distâncias horizontais e verticais entre os segmentos do corpo (31).

Com isso, percebe-se que o método mais realizado ultimamente nos estudos científicos nacionais para detectar desvios posturais é a fotogrametria. Além disso, foi observado que embora a radiografia computadorizada seja um método mais fidedigno, este acaba expondo pessoas a sérios riscos à saúde, portanto, a busca em conseguir métodos que consigam estimar os desvios posturais de maneira menos invasiva acaba sendo um propósito muito importante.

Referências
1.     Barbosa FSS, Gonçalves M. A proposta biomecânica para a avaliação de sobrecarga na coluna lombar: efeito de diferentes variáveis demográficas na fadiga muscular. Acta ortop bras. 2007;15(3):132-7.
2.     Silva Filho, JN. Methods of evaluating postural deviations of the spine used in national studies: a systematic review. MTP&RehabJournal
. 2014;12:43-8.
3.     Malfair D, Flemming AK, Dvorak MF, Munk PL, Vertinsky AT, Heran MK, et al. Radiographic evaluation of scoliosis: review. American Journal of Roentgenology. 2010;194(3_supplement):S8-S22.
4.     Caruncho MV. Os efeitos da radiação diagnóstica. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. 2011;6(19):116-7.
5.     Sacco I, Alibert S, Queiroz B, Pripas D, Kieling I, Kimura A, et al. Confiabilidade da fotogrametria em relação a goniometria para avaliação postural de membros inferiores. Rev Bras Fisioter. 2007;11(5):411-7.