Balança com fita métrica para calcular IMCO índice de massa corporal (IMC) é sem dúvida um dos indicadores antropométricos mais utilizados no mundo para classificação dos indivíduos e suas condições nutricionais. Infelizmente, muitas pessoas por desconhecimento mencionam que o IMC seja uma medida para estimar a porcentagem de gordura do corpo, cometendo um grande equívoco, pois o mesmo é uma medida de referencia internacional reconhecida pela Organização Mundial da Saúde para estimar a classificação de adultos nos seguintes graus: baixo peso, peso normal, sobrepeso e obesidade em adultos (WHO, 1995, OMS, 2000, WHO, 2014).

Acredita-se que a popularização internacional do IMC se deu, devido sua facilidade de aplicação, seu baixo custo e praticidade nas comparações entre os avaliadores. (Perissionotto et al., 2002). Pois, através do IMC consegue-se definir de forma bem rápida se um indivíduo encontra-se em risco de obesidade ou não.

Para conseguir determinar o seu IMC ou de alguma outra pessoa, basta dividir o peso (massa corporal em quilogramas/kg) pela sua altura ao quadrado (altura definida em metros). Resultando nesta fórmula de cálculo (IMC = massa / altura x altura), como por exemplo, uma pessoa com 60 kg e com 1.60 m de altura, apresentará um IMC de 23,44. (WHO et al., 1995). Voce também pode calcular seu IMC em nossa Calculadora.

Em contrapartida, o IMC vem sendo muito discutido pelo fato de não levar em considerações algumas particularidades do indivíduo na hora de classificá-lo, estas particularidades são: (sexo, idade, praticando ou não de atividade física, etc..), por isso, fica simples entender que os valores encontrados no IMC, por desconsiderar tais particulares podem sem dúvida subestimar ou superestimar a composição corporal da pessoa, e ainda, gerar interpretações e classificações arbitrárias em amostras diferentes.

O IMC tem validade?

Sem medo de errar, afirmo que o IMC além de ser uma medida valida internacionalmente, pode ser usado para estimar a composição corporal das pessoas, entretanto, cabe a cada profissional e/ou até mesmo a pessoa que for realizar o teste, saber identificar de maneira criteriosa qual perfil do avaliado. Haja vista que o IMC, é prioritariamente indicado para amostras populacionais (estudos epidemiológicos), já que sua validade e fidedignidade apresentam boas estimativas quando realizadas com indivíduo ou grupo de pessoas sedentárias.

Neste contexto, podemos citar alguns estudos realizados em países desenvolvidos com amostras representativas em adultos de ambos os sexos, demonstraram boa correlação entre o IMC e outros indicadores antropométricos, tais como (prega cutânea; gordura abdominal, gordura visceral) e não obstante mostrou-se ainda forte correlação com a massa de gordura corporal total (Navarro et al., 2000).

Classificação do IMC

Depois de fundamentada a real importância do IMC, e para qual público o mesmo consegue estimar com melhor eficiência a composição corporal, demonstraremos abaixo os dados e a classificações segundo a Organização Mundial da Saúde somente para pessoas adultas, vejamos:

Tabela com os niveis de peso do IMC

Considerações finais

Considera-se que embora o IMC apresente algumas limitações, não podemos deixar de considerar que: a sua praticidade em medir, a facilidade de obtenção dos seus dados referentes à massa corporal e estatura das pessoas, e não obstante, a sua boa correlação já comprovada em diversos estudos populacionais sobre morbidade e mortalidade, são motivos suficientes para afirmarmos que o IMC serve como um forte indicador de estado nutricional em pessoas sedentárias e em estudos populacionais (Anjos, 1992).

Agora que você já sabe a validade calcule seu IMC.

Referências
1. Anjos, L.A. Índice de massa corporal (massa corporal. estatura-2) como indicador do estado nutricional de adultos: revisão da literatura. Revista de Saúde Pública, v. 26, n. 6, p. 431-436, 1992.

2. Perissinotto E, et al. Anthropometric measurements in the elderly: age and gender differences. Br J Nutr. 2002; 87(2):177-86.
3. Navarro AM, Marchini JS. Uso de medidas antropométricas para estimar gordura corporal em adultos. Nutrire: Rev Soc Bras Alimen Nutr. 2000; 19/20: 31-47.
4. World Health Organization et al. Physical status: The use of and interpretation of anthropometry, Report of a WHO Expert Committee. 1995.
5. World Health Organization. BMI Classification. Disponível em:< http://apps.who.int/bmi/index.jsp?introPage=intro_3.html>. Acessado 02.Nov.2014.